terça-feira, 30 de agosto de 2011

A TAL FELICIDADE














Alex Rocha

domingo, 28 de agosto de 2011

AO ANJO






Óleo s/terla
50X70








Um anjo me inspirou nesse quadro. Não me disse às cores que deveria usar muito menos o que deveria pintar, apenas disse: pinte!
Anjos existem, mas existe também o silencio e o meu coração é vermelho, mas também pode ser azul.


Alex Rocha


segunda-feira, 15 de agosto de 2011

TEXTO ACHADO AO ACASO



Esse texto eu achei por acaso na internet, em um blog, não mencionava o autor, diz assim:
“Às vezes é preciso aprender a perder, a ouvir e não responder, a falar sem nada dizer, a esconder o que mais queremos mostrar, a dar sem receber, sem cobrar, sem reclamar.

Às vezes é preciso esperar que o tempo nos indique o momento certo para falar e então alinhar as idéias, dizer tudo o que se tem a dizer, não ter medo de dizer ‘não’.

Às vezes é preciso partir antes do tempo, dizer aquilo que mais se quer dizer, arrumar a cabeca, limpar a alma e prepará-la para um futuro incerto, acreditar que esse futuro já está perto, apertar as mãos uma contra a outra e rezar a um deus qualquer que nos dê forca e serenidade.

Pensar que o tempo está a nosso favor, que a vontade de mudar é sempre mais forte. É preciso aprender que tudo tem o seu tempo e que esse tempo tem sempre um fim.

Às vezes mais vale desistir que insistir, esquecer do que querer, arrumar do que cultivar.

Às vezes é preciso mudar o que não tem solução, deitar tudo abaixo para voltar a construir do zero e bater com a porta, apanhar o último comboio sem olhar para trás, esquecer a voz, o cheiro, as mãos e a cor da pele, apagar a memória sem medo de a perder para sempre, esquecer tudo.

Às vezes é preciso saber renunciar, não aceitar, não pedir nem dar, sair pela porta da frente sem a fechar, e partir para outro mundo, para outro lugar, mesmo quando o que mais queremos é ficar...”